sábado, 30 de junho de 2018

As estações do ano atrasaram dois meses.

Joga Xadrez horas a fio.
Usa o Rei quando quiseres.

Antigamente havia a mania de dar à morte os  peixes.
Hoje em dia as peças são de plástico.
Dá de comer aos peões.

As gatas atacam ao anoitecer.
Os lobos calam-se pela madrugada.
O Verão tarda em aparecer.
Parece mármore mas não é idóneo dizer que é.

As estações do ano atrasaram dois meses o que já é habitual.
Joga pelo fio da navalha.
E?
Usa a sátira. Pelargonium é uma planta.
Propõe.
Propõe.
Usa a sátira. Pelargonium é uma planta.
E?
Joga pelo fio da navalha.
As estações do ano atrasaram dois meses mas também já é normal.
Usa o Rei como quiseres,
(...)
Usa o Rei quando quiseres.
Usa o Rei como quiseres.
Usa o Rei quando quiseres.

quinta-feira, 7 de junho de 2018

Visita Viseu, ou não visites Viseu, ou trip to Viseu


0(zero)
XXXXXXXX falam inglês e ouvem sirenes quando esperam pelos cafés.
Fala-se do imobiliário e do Sporting, casas modulares em Belém e XX de como gostava de ir à casa de banho, mas o W.C. público não lhe agrada e pergunta-se como passarão as casas modulares pela portagem da A1.

 1 – XX parte em direção a XXXX.
2------------------------------------------------------------------------------------------- Sobem Av. da Liberdade
R.Kelly é pedófilo
                                                                                          1 dos fundadores dos Ace of Base é nazi------------------------------------------------------------------------------------- fotocópias express no Saldanha
Havemos de parar para imprimir discursos (feito)

                                                                                    Campo Grande túnel

                                     Uber eats
autocarros
                                                                                                                                                        turismo    

apitam
placards de cruzeiros

nunca pensei que
                                                                                                                                            fosse assim
     tão giro.
atividades tão giras
-------------------------------------------------------------------------------sirenes


ligam das caldas
       Humus. Há
       saquinhos
pequeninos de Humus.
           Vasos
Calor
passadeiras
semáforos
Vou ali a uma reunião com o
Jorge jesus. -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

3 -  - “The revolution will not be televised” –
XX deu 10€
Pingo Doce 23,03€

Estrada da P.Sto Adrião/ fla…

 Gasolina 10€
  GPL 23,08€

XX  aproveita para mijar
“a cidade nunca começa
a cidade nunca acaba.”


Next stop: Viseu!

4 – Frielas –        IC17
   Casino “Há que saber
quais as slots certas”
“Vai comprar um rajá.”
GPL
 




O Belle Dominique é porreiro?
                      é amargo?
                      é sábio?
Já tem 70 e tal anos.

A cidade nunca acaba, nunca começa

Moscavide é pavorosa, tem igrejas com néons.

A1-Norte

     “A cidade nunca acaba, mas tem portagem.”

Visit Viseu.

Patchouli

Saída Aveiro: portagem 2,40€



4.1 –
Camiões TIR.

        Zé Pedro dos Xutos
      Vanda Stuart é vedette

“Ser roçado à 3ª feira é ótimo.”

  Venda das raparigas

  Quase na Batalha

Continente Leiria
         Depois o Castelo (ainda não o vi)
  Pinheiro
  Milagres

4.2  A1  (Leiria – Coimbra)
   Peregrinos da insatisfação
Peregrinos da insatisfação
à procura que os
satisfaçam.

Peregrinos da satisfação
entendem-se a falar
e no silêncio.

Procuram quebrar a corrente
os peregrinos,
sem saber.

Em busca de si próprios, peregrinos
Andam passageiros.
de si mesmo.

XXdá o Mote
XX concretiza
XX divaga
A única coisa em que sou viciado é no bem-estar.

Árvores   ao
  lado
Pinheiros
sementeira

erva mágica
Castelo
 de
 Pena

Ao controle
              deles
Placards publicitários

 



CONIM-
BRIGA

Toda a gente é

parte da sua

minoria.
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Coimbra    -         Alta e Sofia
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Machões do jazz
Músicos heterossexuais,

escapam-se para ir
aos homenzinhos

chega a noite,
cheios de tesão
Elas ficam muito contentes

adormecem junto delas

LOULETANO
AVILUDO

Caixa de texto: SERRA5  –  Parte cinco da nossa
         viagem.   
                
-Uma pessoa que é intuitiva,
é sempre intuitiva

dizia quem

Sta combadão

5.1
A pilinha de
saia diz:
mete-me a XXXXXXXX no nariz, como se fosse cego

CARAMULO

VISEU 14KM

Divirto-me a fazer
Amor.

A Áurea canta.

O papel social da mulher ao longo da história.

6. Ainda não há piscina mas já chove.
Saída p/Viseu

GPS

Rotundas

3ºandar

XXXX

faces

Pensão Rossio

7.            (de tudo de melhor para todos, muita paz, concentração e, acima de tudo, emitir muita luz. Que nossa presença seja como um farol iluminando o mar, como uma virgem anã, como buraco para outra dimensão, que alumie a pessoa para que esta veja o caminho para o seu destino que deste faça o que bem entender.
Que haja carinho entre os homens e mulheres e entre todas as partes de todos os ecossistemas que existem
No caminho do bem,
a escuridão sempre que necessária,
e o seu fim para a nossa localização)

Na cama da pensão
esperando XX

Saio de Lisboa
e é outra descontração.

8. Apetece-me é mexer. Beber um copo aqui, outro acolá.

9.Vamo-nos embebedar.




10.
És tu quem manda na tua própria vida.

11. Antigamente quando te ias embora, a história ficava ali. Agora vais-te embora e a história permanece.

12. (…)

13. XX em negação.
18. Raramente comia leitões, preferia vendê-los a todos e receber o dinheiro. Ficava muito contente. Alguns deles de raquíticos tornavam-se grandes varrascos, porcos evolutivos destinados ao matadouro. Dava uma certa pena vê-los a seguir para o
14.          O trabalho e suas obrigações.
                Há dois Castelo-Branco, um é dono do Horto do Campo grande, a outra é poderosa.
                Jardins clássicos, feitos por bons jardineiros numa época por arquitectos paisagísticos, jardins Municipais, jardins de colecção, com plantas emigrantes e os jardins dos Reis.
Jardins asiáticos e ingleses, rosas, inglesas rosas.
Lisboa.
Campo Grande.
Aprendi nomes de plantas, vi colunas.
Geometria no seguimento das Colunas.
Jardim da Estrela e suas árvores gigantescas.

15. O cedro no Jardim do Príncipe Real prestes a ser derrubado. Uma coisa descabida.
Morticia Adams denegrindo o nome
do Jardineiro.
16.Labirintos.
Oasis.
Por vezes são miragens. Outras Xs
não.
Areia.
Dinheiro. Fábricas de conserva. Arroz com peixe. Cabras.
Vacas.
Cabritos sim.
Carneiros…

17. Chanfana.
18. Raramente comia leitões, preferia vende-los a todos e receber o dinheiro. Ficava muito contente. Alguns deles de raquíticos tornavam-se grandes varrascos, porcos evolutivos destinados ao matadouro. Dava uma certa pena vê-los a seguir para o matadouro. Porcos viciados em fitness em maratonas sobre a antiga ponte Salazar, agora 25 de Abril, há lá uma tabuleta que explica isso melhor.

19. Divertia-se com a criação.

20.          Pater et mater.
Cuidado com os dentes do porco, eles podem-te matar.
Cuidado com os dentes espumosos do porco, eles podem-te matar.

Cuidado com o peso dele.

Há porcas com ninhadas de 7.

Diverte-te e não estejas preocupado.
Antes os porcos eram mais
javali, com sua fisionomia
agridoce
matreira
os porcos fêmea, não
te deixam sossegar.

21.
Silvas
crescem livres
perante compartimentos
individuais.
Reconhecimento
do seu lugar pela
força do chicote.
Porcos.

sozinhos
compartimentados

ficava admirado
com isso

Roncos e brigas
mordem na sua própria mãe.

ficava admirado
com isso
com a quantidade de
lenços por pacote
devia ficar menos ranhoso do que
estou.
A cómica sensação de saber que é demais.

Habituação ao pó.
Um gajo quando se habitua de pequeno ao pó, ganha imensa resistência ao pó. Usava nivea, não… nem isso usava. Usava, já mais em crescido Óleo Johnson, menos baton.
Não tinha nada a ver.

22.          Tinha um irmão, nasceu preto.
Mãe negra, pai grande.
Mater et pater.
Tinha casado c/ um policia,
esposa simpática
da autoridade,
prostitutas que andam por aí.

23.XXXXX XXXX em Lisboa, procurando macho teve um filho, Lindo.

24.
Poder de compra e compra de poder. Jogos de criança. Testes. Afastação.

25. Estragada a reputação da rapariga, já nada há a fazer. Conclusões óbvias para quem já de tudo viu. Arrastando sua fama pelo chão, anda feminina tentação.

Sorrisos.
Piropos.

Mandam olhinhos às raparigas,
os apaixonados

Mães mandam filhas
Mães mandam filhas deixar de ser tão óbvias
evitem ser faladas.
Para dançar não se mexem.
Questiono aos filhos o que vêem
que comigo nada disso acontece

e acho estranho

acertar melhor a dança
e dançar mais vezes
nunca mais que duas séries
que também acaba por chatear.

Aquele acto não tão habitual
como levar uma tampa
comigo assim não sucedia

marca os pares antes dos bailes
combina logo tudo desde inicio
começa muita gente a fazer isso
que não haja batotice
que ninguém se chateie por
fazer isso
pouca vergonha debaixo das varandas
Há quem diga que umas se sentam mesmo em cima dos rapazes
antes não havia nada disso
por mais que convidasse nunca aceitavam
Havia assim umas muito tímidas
muito tapadinhas
e é só assim.



26

Havia sempre

27.
Antes os machos musculados
trabalhados corpos

gordos
    gordas

fodem com

todos


as putas rascas

onde tudo

vai.

de repente fica-se com
a cabeça assim.
até fazem dupla
os encornados

ignoras

elas andam de mãos dadas
parecem mesmo um casal
também me apetecia dar
beijinhos a ti

elas vão as duas para a sanita
como é que cabem lá
dentro todas
as gordas
às vezes
3.

28.          Pisar o risco.
Morar perto de mim.
Nos intervalos falar…
Achar coisas assim…
Nadar como quem anda…
Namorar como andar…
Cantar e dançar…
Junto dos rapazes jogar…
Jogava-se à Cirumba
às cartas debaixo das escadas
quando…

Pisar o risco.
Acrobacias entre acrobatas
Melancias e melões
ainda era miúdo.
Andar de patins.
Caí muita vez.
Aprendi a andar.

Queres patinar comigo no Parque das Nações?
Patinar em pistas de gelo?
Deslizar numa sensação muito agradável

eu a deslizar no mar
eu a deslizar no mar

29. Prestar-me a certas situa-
ções.

30.
Dormir e estar acordado
Dormir e estar acordado

Ausência de dor física
Uma dor psicológica
Agarra a lógica da dor
Come uma boa refeição.

Dormir e estar acordado
Esquece a lógica e a razão
Dorme uma bela soneca
Apaga essas olheiras do caralho

O que é parecido com esta cara?

31.
Tinha um grande há vontade
dormia.
32. Acordo

3.3.        Luso
Mealhada leitão
Luso
Mealhada (25€ 95 15GPL)
34.          Mijo.

lápides em mármore de Fátima
latinos bar
tinto
Pedreiras e armazéns

Ali passa o comboio.
Não tarda nada estamos em
Kiev.

Peregrinos
Tão lindo aquele cupressus, não é?

35.          Progresso.
Pragas desordenadas.

Sapatarias Ginova
Fim de Barracão

Leiria parece uma autoestrada.
Aires e Candeeiros

Consuma porco português

36.          Aveiras de Cima
os jogadores do Sporting nem à pancada ganham.
O Sol
(…)
Casa.


sexta-feira, 2 de março de 2018

Estas terras derrubadas ensinam

Estas terras derrubadas ensinam
que a  escorregar por elas abaixo
rebolo sem ver por onde m’encaixo,
corpos  reprimidos que descriminam.

Abram alas, xô, que ninguém m’acuda!
Não preciso de esgares bonacheirões,
cínicos sibilam admoestações.
Abram alas, xô arraia-miúda!

Estava tão alto o Sol quando caía
o senhor destas impropriedades.
Caía, caía, como caía!

Estas terras derrubadas ensinam,
os corpos soltos e livres a cair,
na ligeireza cair, cair, cair… 

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Suara má coisa no bar a gabar o sujeito que passava.

Ri por ter vontade,
lá no amago do coração diz
não a esses mitos que nos reprimem.
O que temos de bom?

Há em você um medo que mete dó.
Um dom…

tinham um dom fenomenal
um bem espectacular
bons reflexos.

Baixa a guarda da racionalidade.
Baixem o balde que carregam,
balda-te a isso
fica o que for que tem de ficar.

Vês o foro do teu dono
pelos figos que te tira.

Foge pela foz.
Paz
Peço.

Pisas o chão que cola pelo álcool com que esqueces,
  
fica nú quando liberto.

sábado, 18 de novembro de 2017

Video vigilância

Com esta lente te foco
porque acresces-me o valor
com que te conheço.
amo a venda do teu corpo,
entrego-te à sabedoria corporativa
do dinheiro.
Enriqueço com as coisas que gostas…
vendo-te e
enches-me o porco mealheiro.

Com este olho te espreito.
Sôfrego de prazer
adoro a forma como te comportas
entre os outros
vultos são indivíduos,
individuos têm hábitos, há que os por a render.

Concentro-me
em
teu valor acrescentado, 
e gozo por te…
conhecer.

 Adoro o teu corpo.
Entrego-o à sabedoria  capitalista do dinheiro,
amo as empresas às quais te dou,
enriqueço com as coisas
que
tu…
gostas.

Vendo-te e
enches-me o porco mealheiro.

(havendo costuras rebentava/
Como não estilhaça-se no soalho/
moedas contra a parede/ barro no chão.)

Lambo sôfrego o dinheiro…

Vigio-te,
Protejo-te das maldades dos outros homens,
salvo-te das garras de quem te quer mal, muito mal e que te magoe..

Não te preocupes minha filha,
Anda pela rua sem te preocupares,
evita nódoas negras e preocupações…

a videovigilância começou, já nada te poderá roubar.